"Não Basta ser Mulher, Jovem também sou Negra"

4/26/2017 11:53:00 da manhã Minha doce África 0 Comments

Olá manas,

Tudo bem com vocês? Como têm passado?

O ano começou bem ou nem por isso?

Espero que tenham muitas novidades e que lutem sempre pelos vossos sonhos, independentemente das dificuldades que possam vir surgir ao longo do caminho.

Bem deixemos de blablabla e vamos ao que realmente interessa.

Não sei se repararam bem no título de hoje, Não basta ser Mulher, Jovem ainda sou Negra?

Não sei se através do título conseguem chegar ao nosso tema de hoje?

Ao meu ver, este tema é super pertinente e bastante polémico.

Agora vocês perguntam!

- Mas Neusa, porquê que estas a escrever sobre isso?

Eu vos respondo!!

- Estou a escrever sobre isso porque ao meu ver, faz todo sentido falarmos sobre isso.

É sempre bom refletirmos sobre temas que envolvem, não só a Mulher em seu todo,  como a e principalmente a Mulher Negra.

Como todas as meninas/mulheres, jovens e negras como eu devem ter-se apercebido as dificuldades que temos em ser aceites em altos cargos.

Se olharmos para as grandes empresas,ou empregas que dá a qualquer mulher uma certa dignidade, dificilmente vemos mais do que 3 ou 4 mulheres negras, numa empresa com 50 ou mais empregados.

Se vemos mulheres negras nestas empresas?? Claro que vemos!!

- Como empregada de limpezas, como cozinheira ou ajudante de limpeza, nos cafés e assim adiante.

Então eu me pergunto?

Sofremos por ser mulher e não temos salários iguais aos homens. Também sofremos por ser jovens de mais e por vezes nos acusam de "falta de experiência", ainda temos que sofrer por ser negras??

Isso mostra que somos atacadas triplamente pela sociedade.

Somos descriminadas diariamente por diversas razões e por vezes não sabemos como agir, do que defender e porquê somos atacadas.

Por isso pergunto-vos manas, o que fazer em relação a estas situações?

Como devemos lutar perante determinadas situações ou mesmo como devemos denunciar?

Por isso deixo-vos aqui um desafio.

Partilhe connosco a vossa experiência, em que situações sofreram estas descriminação.

O que fizeram, como agiram e o que gostariam de fazer?

Espero pela vossa resposta.

Afrobeijo da Neusa

0 comentários: