Mulheres de fibra

8/27/2015 09:05:00 da manhã Minha doce África 0 Comments

O exemplo de Rose Parks



Muitas vezes dizemos que não somos suficientemente fortes, que não temos dinheiro, estudos, exemplos em casa, que poderíamos ser melhores pessoas e fazer melhores coisas, se tivéssemos as condições. Mas as condições, por vezes, dependem da nossa ação, e não o contrário.

Na minha opinião, o que fazemos depende da atitude, caráter ou mesmo a vontade de fazer diferente. E claro não basta ter atitudes e todos as palavras acima mencionadas, é preciso ter fé e acreditar que com um simples gesto podemos fazer diferente, contribuir para um mundo melhor. Falar é bom, mas fazer é muito melhor. E agir não é uma coisa só de homens.
Rose Parks

As mulheres em geral e as mulheres negras em particular já realizaram grandes feitos.
Pois é. Às vezes, um simples gesto impulsiona grandes manifestações. Com isto quero contar-vos a história da Rose Parks, uma mulher comum que através de um simples gesto, movido pelo cansaço e sentido de injustiça originou uma gigantesca manifestação conhecida como Boicote aos autocarros de Montgomery que durou mais de um ano, entre 1955-1956, nos Estados Unidos.

Rosa Parks, era uma mulher comum, tal como as outras da época, teve de desistir do estudo para ajudar a família nas despesas da casa, tornando-se então costureira. Um dia, que veio mudar-lhe a vida, quinta-feira dia 1 de Dezembro de 1955, Rose regressava do trabalho, como habitualmente. Entrou no autocarro, já muito cansada, e sentou-se num dos lugares que eram destinados a negros. Quando o autocarro começou a encher, começando a ter alguns brancos de pé, o motorista do autocarro exigiu que Rose e os outros ocupantes dos assentos destinados aos negros se levantassem de forma a cederem lugar aos brancos que se encontravam de pé.

Autocarro de Montgomery
Rose recusou levantar-se. Isto fez com que o motorista chamasse a polícia e Rose fosse presa.

Passados três dias, esta foi considerada culpada, tendo de pagar uma multa bastante alta. Tal gerou a indignação de alguns ativistas dos direitos civis o que fez com que usassem o caso de Rose para lutar contra a segregação racial nos Estados unidos.
Estas manifestações foram designadas como Boicote aos autocarros de Montgomery, tiveram a duração de 381 dias, sendo que em 1956, o Supremo Tribunal considerou inconstitucional a segregação racial em transportes públicos.

Rose Parks tornou-se um dos ícones, do movimento dos direitos civis dos negros nos Estados Unidos, encorajando assim muitas mulheres - e não só - lutarem pelos seus direitos.

Rose Parks morreu a 24 de Outubro de 2005 no seu apartamento em Detroit devido a causas naturais, recebeu diversas medalhas honrosas durante e após a sua vida.

Com isto, quero frisar que, por vezes, um pequeno gesto pode originar grandes mudanças. Como podem ver, esta mulher poderia levantar-se simplesmente sem questionar como fizeram outros utilizadores do autocarro. Tomou, porém, uma decisão diferente e, com isso, arriscou muito, desde perseguições a ameaças de morte. Mas foi através desta atitude que os negros começaram a reivindicar o seu direito de andar de autocarro da mesma maneira que os brancos.

Rose Parks é, sem dúvida, uma grande inspiração e motivo de orgulho para todas as mulheres africanas ou não africanas que, de uma maneira ou de outra, sofrem na pele qualquer tipo de descriminação.

O meu conselho é, portanto, este: Não se calem. Quando nos silenciamos e deixamos passar, a próxima pessoa irá sofrer o mesmo que sofremos, e assim será o círculo interminável.

Fonte:
Wikipédia

Ednilze Luiz

0 comentários: